Sharks alcançam 3/4º lugar no CrossBorder Esports 2018

A organização portuguesa dos YNG Sharks voltou a viajar para a Dinamarca para participar no CrossBorder Esports 2018, onde acabaram por repetir a classificação da edição do ano passado onde os tubarões sairam com o 3º/4º lugar .

A edição deste ano do CrossBorder contou com mais 8 equipas, perfazendo o total de 32, com os Sharks inseridos no grupo C estes começaram, curiosamente com uma vitória categorica sobre outros Sharks, mas dinamarqueses, por 16:2 em Mirage, no entanto para garantir a passagem para os playoffs a equipa de Renato "nak" Nakano teria de ir ao jogo decisivo após terem perdido o segundo jogo contra os Ignite por 16:6 em Nuke. Para o jogo decisivo do grupo C, voltou a repetir-se o duelo de tubarões, com a vitória recente sobre o mesmos, os Tubarões Brasileiros voltaram a mostrar ser superiores vencendo agora a série por 2-0, com parciais de 16:6 em inferno e 16:8 em train eliminando os GSC Sharks.


nak e companhia arrecadam aproxidamente €1.000 com este resultado.

Nos oitavos de final a equipa adversária, da equipa treinada por Hélder "coachi" Sancho, foram os Squared que não causaram grandes estragos à organização portuguesa que facilmente fechou a série em 2-0, com resultados folgados como 16:9 em cache e e 16:8 em inferno. Com uma sequência de vitórias confortáveis os Sharks reencontram os Ignite nos quartos de final, um jogo que prometia uma vez que os Sharks procuravam a vingança daquilo que havia acontecido na fase de grupos. E assim foi, mais uma vez um BO3 fechado em 2-0 pelos Sharks carimbava a passagem para as meias finais, apesar de os Ignite terem causado mais estragos com dois mapas jogados até ao fim com 16:14 em cache e 16:12 em nuke.

Chegamos às meias finais e chega o primeiro grande desafio dos Sharks, os Tricked. A equipa dinamarquesa era uma das favoritas a ganhar o torneio a par dos Sharks e dos alemães ALTERNATE aTTaX, como foi esperado a série entre a equipa brasileira e a equipa dos Tricked foi um bom encontro, mas ditaria o fim da participação dos Sharks, visto que estes acabariam por perder por 2-0, com 07:16 em mirage e 12:16 em inferno. Com este resultado os Sharks repetem a classificação que obtiveram na edição de 2017 deste torneio.




 
Topo