psh: "Representamos uma casa que está habituada a ganhar"

A jornada inaugural da terceira temporada da Master League Portugal inicia hoje e lançamos agora a conversa que tivemos com Daniel "psh" Alves, jogador dos K1CK eSports Club onde abordamos as finais da Liga Portuguesa de Counter-Strike que disputaram na semana anterior, o qualificador fechado da Master League Portugal e as suas surpresas bem como a introdução do mapa Vertigo no lugar do Cache.

 

"Nas duas equipas que se apuraram, existem jogadores muito soltos, que dão bala e existia espaço para haver esse upset, no entanto não estava a contar com a sua qualificação."


Fraglíder: No primeiro jogo das finais da LPCS, defrontaram a equipa dos Baecon que vos conseguiu criar bastantes dificuldades. Estavas à espera que isso acontecesse numa altura em que a equipa de Brasileira encontra-se em fase de transição do Slinky para o sark?

psh: Para ser sincero, já estava a contar. Conheço de perto os jogadores, são uma boa equipa que a nível tático trabalha muito bem os mapas. Antevíamos dificuldades pois os mapas que antecipamos para essa partida possuem um cariz tático, tirando o dust2 que a meu ver foi o que fugiu um pouco mais do que esperavamos, um mapa que se baseia mais na skill dos jogadores. Conseguimos no entanto avançar nessa partida e prosseguir para o dia seguinte na competição.

Fraglíder: No qualificador da Master League Portugal, equipas que eram apontadas como favoritas como é o caso dos Baecon e dos ASP ficaram pelo caminho para formaNervosa e Grow.uP. Surpreende-te bastante que uma mix e uma equipa que se encontrava na segunda divisão da LPCS batessem e deixassem de fora equipas que chegaram aos Playoffs da LPCS?

psh: É óbvio que esperava que ambas se qualificassem para a Master League Portugal, pelo menos uma das duas à partida deveria passar. Na minha visão, os ASP com o vts são mais táticos e os Baecon também o são, jogando contra equipas mais soltas e que dependem da bala não me pareceu suficiente para haver upsets em BO3, mas acreditava sempre que podiam haver alguns estragos. Nas duas equipas que se apuraram, existem jogadores muito soltos, que dão bala e existia espaço para haver esse upset, no entanto não estava a contar com a sua qualificação.


 

"O Vertigo (...) será como o Nuke e entrará aos poucos nas escolhas das equipas."


Fraglíder: Cache fora da lista de mapas ativos, Vertigo dentro. Quais os teus pensamentos sobre esta troca? Acreditas que a inovação é necessária para o CS ou gostas de manter-te nos clássicos? Consideras que o nível das equipas ficará reduzido com esta mudança?

psh: Uma parte de mim fica bastante triste porque, pessoalmente, gosto do cache mas estar em constante evolução é bom para o CS porque obriga as equipas a adaptarem-se continuamente e sair da sua zona de conforto. Para mim, isto é o difere as melhores equipas das equipas não tão bem constituídas. No início, o Vertigo nunca será muito jogado por não conhecerem as suas tendências, metas e não quererem correr riscos mas eventualmente, será como o Nuke e entrará aos poucos nas escolhas das equipas.

Imagino que terá algumas alterações feitas nele ao longo dos meses mas neste início, não deverá fazer parte das opções a menos que uma equipa esteja à procura de um upset ou jogar contra as odds e trazer um Vertigo, é a minha opinião.

Fraglíder: Na liga que terminou da LPCS, houve algumas polémicas durante a temporada que passou. Se pudesses alterar alguma coisa, o que seria? Do feedback que recebemos, alguns jogadores consideram a transmissão das comunicações algo a remover. Concordas?

psh: Falo por mim, não me faz confusão porque não costumo "chingar" muito mas imagino que existam pessoas com esse hábito e que o façam durante os jogos, é até uma maneira de se motivarem a eles próprios e às equipas. É verdade que é algo que tira um pouco a nossa privacidade e a maneira de falarmos entre nós mas não sei até que ponto faz grande influência a nível competitivo. Se fosse introduzir, seriam outras medidas portanto não concordo totalmente nesse ponto.


 

"Representamos uma casa que está habituada a ganhar e entramos para cada torneio com essa postura."


Fraglíder: A Master League Portugal vai agora arrancar. Que expectativas tens criadas em torno da liga e qual o vosso objetivo assumido, para além de estar na discussão da mesma?

psh: Nós representamos uma casa que está habituada a ganhar e entramos para cada torneio com essa postura. A Master League Portugal não é diferente e é com essa convição que iremos entrar jogo a jogo.

Fraglíder: Obrigado psh e boa sorte para mais uma Liga.




 
Topo