Vinicius "VINI" Figueiredo prestou algumas declarações à sueca Fragbite, com quem falou após a vitória da Imperial sobre a IHC, que valeu o registo de 2-2 no PGL Major de Antuérpia.

Sobre essa partida, VINI não esconde a felicidade, nem tampouco que foi um jogo difícil: “Ainda estamos a perder muitas rondas com vantagem numérica, muitos ecos (…) Eu diria que estamos a evoluir a cada jogo.”

“No início estávamos um pouco nervosos, estávamos a ter comunicações estressantes, mas por estarmos a perder os ecos”, continuou. “Nós sabíamos o que eles estavam a fazer (…) mas estávamos a perder rondas imperdíveis.”

Já sobre a ausência de Luis "peacemaker" Tadeu, VINI referiu que o treinador “tem tentado ajudar” apesar de não poder estar no PGL Major de Antuérpia. “Acho que um pormenor que ele poderia ajudar aqui seria nas pausas para nos acalmar. Nas situações estressantes tem sido difícil perder”, mencionou o ex-FURIA.

Segundo VINI, a passagem à próxima fase “seria um grande passo” para a Imperial. “Ainda somos uma equipa jovem, temos apenas três meses de treino e ainda temos de desenvolver muitas coisas. Seria uma grande conquista para nós e ajudar-nos-ia a ganhar confiança para enfrentar as equipas maiores”, disse o jogador que tem ajudado com as calls.

Questionado ainda sobre a decisão de se juntar à Imperial, VINI não escondeu que “foi mais para ganhar experiência e ver o que eles fizeram no passado”. E acrescentou: “[Servirá para] aprender muito com o FalleN e com os outros também. Podemos fazer grandes coisas a seu devido tempo.”