Fotografia: ESL

Quando a Imperial caiu na pool do 1-2 no IEM Road to Rio 2022 Américas, longe estaria a comunidade de Counter-Strike de pensar que os brasileiros iam conseguir vencer quatro encontros consecutivos em BO3 para selar o apuramento para o IEM Rio Major. Mas conseguiram. Este domingo, o sonho tornou-se realidade e Gabriel “FalleN” Toledo e a restante equipa vão poder jogar em frente ao seu público.

Jogo a jogo, a Imperial foi ultrapassando cada adversário e nunca deixou de acreditar. À medida que os obstáculos iam sendo postos de lado, ganhava cada vez mais força a hipótese de apuramento dos sul-americanos e o obstáculo final foi ultrapassado este domingo, com a equipa brasileira a superar a Complexity ao cabo de três mapas.

Apesar de algumas dificuldades para fechar Inferno, o primeiro mapa da série, a Imperial conseguiu fazê-lo. Depois de liderar por 11-4 ao intervalo, a equipa brasileira viu a Complexity esboçar uma forte reação na segunda metade, mas conseguiu ainda assim garantir a vitória por 16-13.

A série seguiu para Nuke, onde os sul-americanos foram traídos por um T side francamente mal jogado e perderam por 11-16. A decisão ficou, por isso, adiada para Overpass e foi aí que surgiu o génio de Marcelo “chelo” Cespedes. A adição mais recente ao lineup brasileiro mostrou desde cedo o quanto queria estar presente no Major do Rio de Janeiro e rubricou 23 kills na primeira metade do mapa, jogada no T side. Ao intervalo, a Imperial vencia por 9-6.

No entanto, foi a equipa norte-americana a arrancar muito forte na segunda metade e a rapidamente passar para o comando do marcador. FalleN manteve a Imperial próxima com um ace fantástico no bombsite A e, apesar de ter perdido a ronda seguinte, a equipa brasileira conseguiu depois voltar a deixar a diferença na margem mínima. Mais importante que isso, evitou o reset económico para se manter bem dentro da luta.

Final dramático

Numa toada de parada e resposta, a Complexity foi mantendo a vantagem graças a múltiplos clutches de Justin “FaNg” Coakley. Porém, os brasileiros conseguiram constantemente arranjar forma de se manter dentro do encontro e eventualmente quebraram a economia adversária para confirmar a reviravolta e passar a liderar por 14-13. Contudo, novo empate surgiu logo a seguir.

Ambas as equipas estavam a duas rondas da vitória e do apuramento. Num final que não podia ser mais dramático, FalleN voltou a chamar a si a responsabilidade e fez a diferença com a AWP para resgatar o 15-14 para a equipa brasileira. O primeiro match point apareceu, mas foi anulado pela Complexity e o prolongamento foi necessário para encontrar o vencedor.

Apesar de ter perdido a ronda inaugural no prolongamento, a Imperial trocou para o T side já em vantagem (17-16) e conquistou de imediato mais dois match points em mais uma ronda decidida pela AWP de FalleN. No entanto, a equipa norte-americana voltou a encontrar a fórmula para se manter no jogo e forçar um segundo prolongamento.

Uma vez mais, a Imperial conseguiu duas rondas na primeira metade, com a diferença de que desta vez tal aconteceu no T side. No arranque da segunda metade, os brasileiros fizeram o 21-19 e voltaram a dispor de dois match points. A felicidade de todo um país chegou não à quarta, mas à quinta oportunidade para fechar o encontro, com a Imperial a assinar o 22-19.

A equipa sul-americana é a última a garantir uma vaga no Rio de Janeiro. O contingente brasileiro apurado para o certame inclui ainda FURIA e 00 NATION.