Fernando Piquer não esconde que está nos planos da Movistar Riders ter uma academia de CS:GO. A revelação foi feita pelo CEO no último episódio de Llamasesports.

“Sempre quisemos ter uma academia”, contou Piquer no podcast espanhol. “Entre este ano e o próximo é certo que teremos um projeto [destes] no CS:GO.”

No contexto da conversa, que tocava na saúde do CS em Espanha, Piquer aproveitou ainda para dizer que “a sensação que tem é que montar uma academia não vai mudar radicalmente o cenário espanhol.”

O CEO acredita que o projeto poderá ajudar “algum jogador a mostrar-se”, mas será difícil que este seja o único passo no caminho para a revitalização do panorama do país vizinho. Nesse sentido, Fernando Piquer é da opinião que criar e melhorar um ecossistema competitivo, que possa levar ao aparecimento de novas equipas e jogadores, poderá ser um dos passos mais importantes.

Ainda sobre a academia, o CEO da Movistar Riders exemplifica a importância desta ao notar que o clube espanhol viu um jogador de League of Legends a ir para a LEC e outro para a equipa principal da organização.

Não é novidade que as academias de CS:GO trazem frutos para muitas das organizações que fazem estas apostas. Um dos exemplos mais claros foi o percurso da Gambit Youngsters, hoje ao serviço da Cloud9, e outro caso recente é o da MOUZ, que conta com dois ex-jogadores da sua academia no plantel principal.