Chegou ao fim o primeiro dia da BLAST Premier Spring Final em Lisboa, onde OG e ENCE estão já confirmadas nos playoffs após vitórias sobre NAVI e BIG, respetivamente.

Mesmo que percam o próximo jogo, as duas equipas estão já na próxima fase, mas uma vitória significará a presença direta nas semifinais. Também esta quarta-feira, FaZe e G2 foram os outros dois clubes a garantir triunfos na capital portuguesa.

Na quinta-feira, o dia começa com paiN e Vitality a tentarem sobreviver no Grupo A, com FaZe e G2 à procura do lugar direto nas semifinais. Para fechar esse segundo dia nesta BLAST, NAVI encontra BIG e OG a ENCE.

NAVI dominou o primeiro mapa, mas acabou por perder o fôlego

Tudo começou na escolha da OG, Inferno, com a NAVI a vencer três consecutivas no lado defensivo. Apesar de estar no ataque, a equipa internacional começou a mostrar boas indicações, mas, no final de contas, o clube ucraniano conseguiu sair por cima pela margem mínima, 8-7.

Agora a atacar, no entanto, a NAVI mostrou claro domínio no mapa. Com Valerii “b1t” Vakhovskyi a assinar uma excelente performance (22 eliminações e 1.54 de rating), os ucranianos não perderam nenhuma ronda até fechar Inferno por 16-7.

Seguiu-se Mirage, escolha da NAVI, mas foi a OG a mostrar um excelente lado CT para liderar por 11-4 ao intervalo. Na segunda parte, a OG estendeu a liderança para 14-4 sem muitos problemas e, embora se tenha assustado com uma grande sequência da NAVI, foi mesmo capaz de levar a série a terceiro mapa com um 16-12.

Com um recorde de 8 vitórias consecutivas, a NAVI entrou em Ancient a sair sempre por cima da OG até ao 6-3. A questão é que os homens de Nemanja “nexa” Isaković só perderam mais uma até ao 14-7 e, daí, só tiveram de voltar a manter a calma para selar tudo no 16-13, com o novo reforço Adam “NEOFRAG” Zouhar a ser o destaque desse mapa (27 eliminações e 1.42 de rating).

Ação até mais não na partida entre BIG e ENCE

A última série do dia arrancou em Mirage, escolha da BIG, com a ENCE a não conseguir dar seguimento a pistol que venceu no lado CT. Ainda assim, a equipa internacional mostrou estar mais do que preparada para a ofensiva alemã e chegou ao intervalo a liderar por 13-2.

Ainda assim, a BIG nunca baixou os braços e, agora na defesa, mostrou-se rejuvenescida. A ENCE até esteve perto de vencer uma ronda só de pistolas, mas os alemães contrariam constantemente qualquer ofensiva dos adversários. No sprint final, no entanto, o que parecia ser um comeback de sonho acabou por não se concretizar: ao impedir o map-point à BIG, a ENCE voltou a ganhar energia para rematar o mapa em overtime, 19-16.

Mais uma vez, a BIG não se deixou intimidar e entrou na escolha adversária, Nuke, com todo o gás – primeiro com um force bem-sucedido e depois com um eventual 11-4 a defender. Na segunda parte, no entanto, os alemães foram surpreendidos pela muralha impenetrável da ENCE, que só cedeu dois pontos para fechar a série com chave de ouro, 16-13.

Podes acompanhar toda a competição na nossa página de cobertura.