A Riot Games, produtora do League of Legends e VALORANT, terá de pagar 100 milhões de dólares por conta de um processo que alegava discriminação de género na empresa.

O valor em causa ficou definido – após um acordo entre as vítimas e a Riot – por um juiz da Califórnia e foi aprovado no passado dia 22 de julho.

Conforme cita uma publicação no site Hitmarker, mais de 1000 mulheres vão receber pagamentos entre os 4 e os 5 dígitos, assim como cerca de 1000 funcionários da empresa também estarão à espera de receber. A mesma publicação aponta para que a Riot, depois deste processo, esteja a implementar mudanças internas para garantir que os seus funcionários sejam tratados de melhor forma no futuro, incluindo uma entidade independente que investigará as disparidades salariais.

Foram ainda contratadas 40 mulheres que estão a trabalhar a tempo integral nas áreas de Arte, Design, Engenharia e Garantia de Qualidade. 

O processo foi aberto em 2018, depois de um relatório realizado pelo site Kotaku que analisava a discriminação no local de trabalho. A Riot comentou o acordo, dizendo que, “embora esteja orgulhosa do quão longe chegou desde 2018, também deve assumir a responsabilidade do passado”, esperando que “este acordo reconheça adequadamente aqueles que tiveram experiências negativas na empresa”.