ScreaM: "A AUG está a reduzir a diferença de nível entre equipas"

A nossa segunda entrevista com um jogador dos Team GamerLegion no Moche XL Esports foi com o "Le Headshot Machine", o belga Adil "ScreaM" Benrlitom. Dispensando apresentações, falamos com o jogador no Altice Arena sobre o processo de qualificação para os Minors e Majors, sobre as falhas presentes na sua equipa e como estão a trabalhar para as resolver, das oscilações presentes nos lugares cimeiros do ranking mundial e também da atual meta presente no CS:GO.



"Neste momento passamos por um período mau ao perder alguns jogos recentemente mas penso que temos potencial para atingir um nível elevado."


Fraglíder: ScreaM, vieste com os GamerLegion a Portugal para competir na segunda edição do Moche XL Esports. Até agora, o que estás a achar da experiência?

ScreaM: É um prazer estar em Portugal pela primeira vez, estou a gostar bastante até agora. Sei que tenho muitos fãs no país por isso sou feliz em estar cá para competir. Sinto que a cidade é muito especial, tem muitas vistas bonitas, muitas casas e tu consegues ver tudo, isto não é assim em todo o lado, pelo menos não no meu país, na minha opinião. As pessoas cá parecem muito porreiras, boas pessoas. Ainda não tivemos muito tempo para visitar a cidade mas mal posso esperar para fazer uma boa caminhada.

Fraglíder: Ao falarmos com o Ex6TenZ, o teu capitão de equipa, tentamos perceber as áreas em que vocês necessitam de trabalhar no vosso jogo. Classificando-vos como jogadores com excelentes habilidades, o trabalho de equipa ainda não é um processo consolidado. Como estão a proceder para tentar melhorar este aspeto?

ScreaM: O Ex6TenZ tem razão, nós precisamos de trabalhar as nossas vertentes táticas e de jogo em equipa. Temos praticado todos os dias, falado em conjunto sobre como devemos jogar, que estilo de jogo adoptar, tudo isso. Neste momento passamos por um período mau ao perder alguns jogos recentemente mas penso que temos potencial para atingir um nível elevado.

Fraglíder: Recentemente, falharam o vosso objetivo de atingir a qualificação para o Minor Europeu. Olhando para o processo desde os qualificadores online até ao Major em outras regiões, vemos que a qualidade das equipas nem sempre é comparável. Partilhas da opinião que a Valve devia rever a atribuição de slots e como funciona todo o caminho até ao Major?

ScreaM: Estamos a falar de um Major, é dos torneios mais importantes e maiores a que podes ir no Counter-Strike. Faz sentido para mim que seja uma tarefa difícil qualificares-te para um, estou feliz com a maneira como as coisas são feitas hoje em dia. Só as equipas que merecem realmente estar num Major chegam lá, não posso dizer que esteja desagradado com o atual sistema em vigor.



"Sem dúvida que considero a arma overpowered, especialmente da maneira em que consegues segurar ângulos a longa distância enquanto levas facilmente dois, três jogadores da equipa adversária."


Fraglíder: A meta da AUG e SG553 parece ter vindo para ficar no CS:GO. Muitos jogadores aderiram às mudanças mas gostariam de reverter para os tempos da AK47/M4. Conhecido pelos teus "one taps", gostas do estado atual do jogo neste sentido ou voltavas atrás se te dessem a hipótese?

ScreaM: Até que já me tenho habituado a estas implementações da Valve, pelo menos no lado CT com a AUG. Sem dúvida que considero a arma overpowered, especialmente da maneira em que consegues segurar ângulos a longa distância enquanto levas facilmente dois, três jogadores da equipa adversária. De certa forma, a AUG está a reduzir da diferença de nível entre equipas no Counter-Strike. Espero que ela leva alguns ajustes, não demais porque acho que a arma deve continuar a ser uma opção viável para as equipas - que haja um nerf porque neste momento está OP.

Fraglíder: Outra pergunta que fizemos ao Ex6TenZ foi relativamente aos ranking mundial. Numa altura em que vemos muitas alterações no topo do mesmo, acreditas que qualquer equipa pode ascender ao lugar #1? Em caso afirmativo, qual a mais próxima de o fazer?

ScreaM: Para mim, os Astralis ainda são a equipa #1 a nível mundial. Claro que existem algumas equipas que estão a apresentar-se numa forma incrível, a ficar motivadas e temos sempre de nos recordar que os Astralis estiveram no topo durante 1 ano. Isso é muito difícil de fazer, manteres a motivação durante todo esse período para continuares a trabalhar, a treinar arduamente e a vencer torneios. Não sei se a AUG tem sido um dos responsáveis por isto, talvez um bocado mas acho que os dinamarqueses vão voltar a esse lugar muito em breve.

Fraglíder: Algumas palavras finais que queiras deixar?

ScreaM: Estou muito feliz por estar em Portugal, vou conhecer muitas pessoas incríveis. Se me virem por aí e quiserem vir ter comigo dizer olá, podem fazê-lo naturalmente e eu estarei muito feliz com isso!

Fraglíder: Obrigado ScreaM e boa sorte para a tua equipa neste torneio.




 
Topo