Report: BLAST Pro Series não terá Portugal como destino em 2019

Depois do grande evento que a BLAST Pro Series organizou em Dezembro do ano passado em Lisboa e do bom feedback dado a nível mundial em relação ao público, expectativas foram criadas e alimentadas na comunidade portuguesa de que o último evento por anunciar no circuito de 2019 seria a capital portuguesa.

Indícios e planos não faltaram relativamente à possibilidade de haver uma paragem em Portugal para este ano - o parceiro oficial de transmissão francês da BLAST ES1 revelou no final de Maio todas as paragens que iriam cobrir, onde se pode ler Lisboa, para além de um excerto de vídeo da BLAST Pro Series São Paulo com código binário a indicar as coordenadas de Portugal, mais concretamente o Altice Arena onde se realizou a primeira edição do evento em solo nacional. 

No entanto, o nosso portal sabe de fonte segura que o último evento que falta ser anunciado por parte da BLAST Pro Series onde existia forte possibilidade de ser Lisboa não se irá realizar - problemas logísticos no regulamento da competição e no ranking BLAST Pro Series poderão ter motivado este desfecho.


O Altice Arena terá de aguardar por 2020 para voltar a ter a possibilidade de alojar um evento da BLAST Pro Series organizado em solo nacional.

No início de 2019, a BLAST Pro Series anunciou a expansão do seu circuito mundial para obter mais paragens em diferentes localizações e um novo sistema de pontos para as equipas que fazem parte do circuito BLAST - o ranking anunciado vai apurar as quatro equipas com maior número de pontos somados para as finais globais que terão $500,000 em prémios e cujos rumores colocam as mesmas no Dubai, apesar de ser informação para já não oficial.

Com os 7 eventos a culminarem nas finais mundiais e com a regra de que cada equipa estaria presente em 5 eventos, o interesse em contar com equipas fora do circuito em algumas paragens (os chamados WildCards) e também o fator da equipa da casa (a BLAST Pro Series Madrid contou com a presença inédita dos Vodafone Giants após vencerem o Play-In da LVP diante dos Movistar Riders), as contas começaram a complicar-se para todas as equipas atingirem a sua quota de 5 eventos e poderem estar em pé de igualdade para lutar pela presença nas finais mundiais.


A equipa dos FaZe Clan e os Cloud9 terão de ser as confirmações finais de Copenhaga para uma oportunidade igual de qualificação para as finais globais.

Olhando ao número de eventos que cada equipa tem e com os invites que foram para já revelados para os dois eventos que faltam já anunciados (BLAST Pro Series Moscovo e Copenhaga), a solução que a RFRSH terá alegadamente arranjado para que todas as equipas estejam em igualdade perante a oportunidade de somar pontos terá sido remover 1 evento do circuito e reduzir o requisito de presenças para 4.

Olhemos às presenças confirmadas ao longo do ano para cada uma das equipas do circuito global:

  BLAST São Paulo BLAST Miami BLAST Madrid BLAST Los Angeles BLAST Moscovo BLAST Copenhaga
Team LiquidConfirmadoConfirmadoFalhouConfirmadoFalhouConvidado
AstralisConfirmadoConfirmadoConfirmadoFalhouFalhouConvidado
FaZe ClanConfirmadoConfirmadoFalhouConfirmadoFalhouTBA
Ninjas in Pyjamas       ConfirmadoFalhouConfirmadoFalhouConvidadoConvidado
MIBRConfirmadoConfirmadoFalhouConfirmadoConvidadoTBA
Natus VincereFalhouConfirmadoConfirmadoFalhouConvidadoConvidado
Cloud9FalhouConfirmadoConfirmadoConfirmadoFalhouTBA

Olhando às presenças confirmadas até ao final do ano, podemos confirmar o seguinte número de presenças até agora por equipa:

Team Liquid - 4 Eventos
Astralis - 4 Eventos
FaZe Clan - 3 Eventos
Ninjas in Pyjamas - 4 Eventos
MIBR - 4 Eventos
Natus Vincere - 4 Eventos
Cloud9 - 3 Eventos

Com a lista de presenças fechada para a BLAST Pro Series Moscovo (3 equipas confirmadas do circuito + 2 WildCards + Vencedor do CIS Play-In) e apenas duas equipas por anunciar no evento da BLAST Pro Series Copenhaga, um evento como o de Miami em que os seis participantes fazem parte do circuito BLAST é o que acabará por acontecer para que as contas da RFRSH batam certo. Com o anúncio de FaZe Clan e Cloud9 como as duas equipas que faltam no último evento do circuito, todas as equipas ficarão com 4 eventos e possibilidade igual de somar pontos para o ranking.


Com 7 eventos originalmente anunciados, o circuito deverá ser reduzido a 6 para dar uma possibilidade igual de qualificação para as finais globais.

Conhecidos pelo seu formato de seis equipas e com um evento tecnicamente por anunciar, é impossível para a BLAST Pro Series organizar mais um evento neste circuito uma vez que existem 7 equipas a competir nele e apenas seis vagas para ocupar por via de convites. Em todo o caso, teremos de esperar por 2020 para ter a possibilidade novamente de poder ter um evento em Portugal organizado pela RFRSH, com rumores a indicar que teremos potencialmente 9 a 12 eventos no próximo ano no circuito mundial da BLAST Pro Series.



 
Topo