Fotografia: Heroic

Numa altura em que várias empresas ligadas aos esports têm de despedir funcionários para conseguir sobreviver, o Heroic Group, empresa-mãe da Heroic anunciou que durante o ano fiscal de 2023 atingiu um novo recorde, com receitas aproximadas de 10 milhões de dólares e um EBITDA positivo (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização).

A notícia foi dada pelo antigo COO da Heroic, Stian Flate Friisvold, numa publicação feita pelo norueguês no LinkedIn. Na publicação feita por Stian Friisvold pode ler-se: “Na Heroic criámos um local de trabalho único para colegas apaixonados, construímos uma marca moderna e inspiradora para uma base de fãs internacional, ajudámos atletas a realizar os seus sonhos em grandes eventos e liderámos a tabela de classificação global de Counter-Strike por diversas vezes” começou por dizer.

“Paralelamente, tivemos que gerir múltiplos ‘escândalos’ públicos, devido às rivalidades competitivas. No entanto, os nossos dados financeiros do ano fiscal de 2023 atingiram um recorde, com receitas aproximadas de 10 milhões de dólares e uma margem EBITDA positiva anunciou.

Nesta publicação, Stian Flate Friisvold anuncia ainda que vai abandonar a Heroic para se juntar à Qiddiya como conselheiro estratégico. O norueguês segue assim os passos do antigo CEO da Heroic, Joachim Haraldsen.

A Qiddiya tem, em construção, um grande projeto em Riyadh, na Arábia Saudita. Este projeto terá como foco o entretenimento e turismo, e vai contar com uma cidade de gaming e esports.