Policía Nacional
Fotografia: Toni Villen

A Policía Nacional espanhola decidiu criar uma equipa de esports. A iniciativa é inédita no que toca a forças de segurança e a autoridade espanhola marcou, inclusive, presença na Amazon Gamergy, em Madrid, este fim de semana, para a apresentação oficial.

A iniciativa partiu do inspetor-chefe Casimiro Nevado e este explicou ao El País como surgiu a ideia. “Tudo começou porque, devido ao congresso de cibersegurança que fazemos todos os anos, o c1b3rwall, recebíamos muitos emails de aficionados dos esports que tinham sido defraudados ou a quem tinham roubado o perfil”, começou por dizer Nevado.

A partir daí, a ideia fluiu. Em busca de chegar mais perto dessas comunidades, a Policía Nacional espanhola decidiu criar uma equipa oficial para competir, fazer streams e aproveitar-se disso para passar as mensagens importantes sobre cibersegurança. O nome da mesma é c1b3rwall, tal como o congresso.

Por agora, a equipa vai competir em duas modalidades: VALORANTLeague of Legends. No FPS da Riot Games, a c1b3rwall vai começar no circuito Tormenta, uma espécie de segunda divisão. A competição arranca em janeiro e o objetivo passa por subir de divisão e poder competir com os profissionais, mas também darem-se a conhecer enquanto agentes da autoridade.

Para além da competição, também vão ser realizados torneios de exibição. O primeiro está programado para fevereiro, na Academia Nacional de Ávila. A c1b3rwall vai convidar a equipa de VALORANT da KPI, mas a competição vai abranger bem mais do que os esports. Para além do VALORANT, os profissionais da KPI vão ter que se submeter a exercícios físicos com os polícias.

Eric “Diablo” Murillo, diretor da organização espanhola, aplaudiu a iniciativa: “Surpreende-me e encanta-me que a Polícia tenha tido esta iniciativa. É um modo de chegar a este público, por detrás dos profissionais existem muitos fãs e crianças. É um modo de consciencializar o setor”.

O inspetor-chefe Casimiro Nevado revelou ainda que receberam 70 candidaturas, das quais selecionaram 15, já que para além dos quintetos para cada jogo, foram selecionados alguns suplentes. Nevado revelou ainda que existe uma mulher entre os selecionados e que um dos membros da equipa de League of Legends já competiu no cenário ao serviço da UCAM.