Riot delineia política competitiva do VALORANT e First Strike

 A Riot anunciou ontem à tarde a política competitiva do VALORANT como jogo e as regras para o seu torneio, First Strike. Combinados, os documentos acumulam 60 páginas, pelo que fomos olhar para alguns dos pormenores.

A Riot lançou dois documentos, o VALORANT Professional Esports Global Competition Policy e o VALORANT Professional Esports First Strike Competition Rules - vamos começar pelo primeiro.

A política global reforça que os jogadores terão de ter no mínimo 16 anos e um rank de Immortal 1 (ou mais) - mas isso sabe-se desde o anúncio do First Strike. Saltamos para a secção de requisitos regionais e encontramos uma política específica no que toca à definição da identidade regional.


As equipas terão de, em qualquer altura, manter 3 jogadores dos 5 com que começam jogos residentes na região da equipa. Para além disso, quatro dos seus jogadores têm de ser da região de onde a sua organização é. No que toca a mídia, vemos que os jogadores são obrigados a corresponder à criação de conteúdo pela Riot ou o organizador, enquanto não interferir com um jogo próximo.

Descemos mais uns subtemas e vemos que a Riot vai definir datas para Roster Locks - períodos em que nenhuma mudança nas equipas vão ser permitidas sem aprovação dos organizadores, com datas que diferem de ano para ano e publicadas no “website para Esports Profissionais de VALORANT”, indicando que podemos ver algo à semelhança do lolesports.com

A Riot vai criar um documento separado para conflitos de interesse entre organizações e equipas (para seguidores de CS:GO, a Yeah e MiBR são um bom exemplo), definindo todas essas regras no mês que vem. Essa política só terá efeito a partir de fevereiro do ano seguinte.


Uma das regras mais peculiares será a do ponto 7.2.4, onde a Riot se pronuncia sobre apostas. Os jogadores profissionais de VALORANT estão proibidos de apostar em qualquer esport - seja VALORANT, seja da Riot ou não.

Passando então ao VALORANT Professional Esports First Strike Competition Rules - as datas para o Roster Lock do First Strike estão já definidas, estando proibidas as alterações a equipas entre 22 de novembro e 7 de dezembro.

Ao longo do documento são feitas várias menções a torneios LAN, pelo que é claro que não estão completamente descartados pela RIot, pelo menos por agora. Além disso, estão apresentadas regras no que toca a atualizações.


Agentes anunciados estarão restritos da competição durante duas semanas após a sua saída. Para a recém-anunciada Skye, por exemplo, só estará oficialmente disponível dia 10 de novembro. Os mapas têm um período de restrição maior, quatro semanas - para o Icebox, acaba por calhar também a 10 de novembro.

Equipas com jogos agendados para o First Strike estão obrigados a alocar o tempo de um jogador para criação de conteúdo. Competidores que joguem pelo menos um jogo terão de pôr de lado 15 minutos no dia de jogo. Caso um jogador jogue pelo menos dois jogos durante todo o First Strike, terão de se disponibilizar pelo menos uma vez.

As regras para vetos são as que conhecemos até agora vindas do CS:GO para jogos à melhor de 3, mas diferem para jogos à melhor de 1 ou 5. Para os vetos a Riot define a “Equipa A” e “Equipa B” - a equipa com melhor seeding escolhe se é a A ou a B. Se não houver seeding, é escolhida ao acaso.


A Skye só está oficialmente disponível para jogos competitivos a partir de novembro

Em BO1, a Equipa A remove dois mapas e a Equipa B pode então escolher dos mapas que sobram, com os lados determinados por cara ou coroa. Para BO5, como apenas há 5 mapas no VALORANT quando o Icebox for oficializado, a Equipa A começa a escolher o primeiro mapa e a Equipa B o lado, e vão trocando.

Só vai ser permitido uma pausa tática por mapa a cada equipa, durando 30 segundos. Nos pontos finais, a Riot define ainda que os organizadores dos torneios First Strike terão de cobrir gastos de viagem, acomodação e alimentação às equipas. Os gastos estão limitados a cinco jogadores iniciais, um substituto, um treinador e um manager.

Os documentos em si são muito mais extensos do que este artigo revela, portanto se realmente quiseres ler ambos documentos por extenso, podes aceder aqui. Aqui apenas foram definidas as regras, exceções e detalhes mais salientes - muito foi deixado de parte, óbvio ou não.




 

Conteúdo de excelência para um público exigente.

Copyrighted material used under Fair Use/Fair Comment.

Criado em 1999 e com o objectivo de ser um projecto abrangente das comunidades e para as comunidades de jogadores, o Fraglíder tornou-se a maior e mais respeitada comunidade de eSports em Portugal.

Tendo sempre como objectivo apoiar as comunidades nacionais de jogos online, o Fraglíder recebeu como prémio do seu trabalho um lugar de destaque em Portugal, fruto da dedicação de muitos, que ajudaram a crescer a história do Fraglíder.

Facebook



Games don't make me violent, stupid people do !

Copyright © 2018 Fraglíder

Topo