Fotografia: Psycho/Instagram

O antigo jogador de Counter-Strike, Oleksandr “Psycho” Zlobin, conhecido pelo tempo em que esteve ao serviço da Akuma, em 2021, onde foi acusado de fazer batota, vai estar presente no PGL CS2 Copenhagen Major RMR Americas, como treinador da Rocket.

O ucraniano ficou conhecido no cenário competitivo de Counter-Strike, mas, não pelos melhores motivos. Durante o ano de 2021, Psycho representou a Akuma e, nessa altura, 15 equipas reuniram-se para formalizar uma acusação contra o jogador e os seus colegas de equipa, alegando que estes estariam a receber dados, em direto, de terceiros.

Estas acusações levaram a que a ESIC abrisse uma investigação, que culminou com um ban vitalício ao proprietário da Akuma, Alexey Shyshko, por manipulação de resultados e cheating em várias competições de desportos eletrónicos. Para além de Shyshko, a ESIC também baniu alguns jogadores que jogaram sob o comando do ucraniano, como Dmitriy “SENSEi” Shvorak, Danylo “nat1ve” Bakin, Artur “DarkS1DE” Kravchenko e Max “THRONE” Semenov.

Lê também:

Psycho nunca foi banido pela ESIC, embora tenha jogado várias vezes sob o comando de Alexey Shyshko. Sem qualquer ban aplicado, Psycho irá ajudar taticamente a Rocket no RMR das Américas, que arranca no dia 1 de março.