Fotografia: Fraglider

Em meados de outubro, a Vitality despediu-se de Danny “zonic” Sørensen, treinador dinamarquês que estava ligado à organização desde janeiro de 2022. Ora, para o futuro, o técnico colocou as fichas no projeto da FALCONS, formação saudita que pretende investir em massa no Counter-Strike.

Numa entrevista com o entusiasta, Duncan “Thorin” Shields, zonic revelou o porquê de ter abandonado a Vitality, meses depois de ter liderado a equipa à conquista do BLAST.tv Paris Major 2023: “A minha primeira prioridade era prolongar o contrato com a Vitality, mas em termos globais, incluindo prémios e o resto, o meu salário baixava 60-70% em relação ao que tinha. Informei-os de que estava disposto a baixar o meu salário, mas não tanto. Sabia que havia problemas [financeiros] e informei o meu agente de que estava disposto a descer 20%, apesar de ter ganho o Major, e essa foi a única tarefa que me foi dada”, revelou o titulado treinador dinamarquês.

No período ao serviço da formação francesa, zonic terá baixado o salário por duas vezes, em ordem da organização contratar Lotan “Spinx” Giladi e Lars Robl. Para o técnico, a proposta de renovação fora “desrespeitosa”: “Foi um pouco dura a forma como iniciaram as negociações. Na minha opinião, foi um pouco desrespeitoso. Passado algum tempo, encorajaram-me a encontrar outro lugar”, revelou.

Por fim, zonic explicou que a mudança para a formação da FALCONS fora aliciante pelo projeto: “Recebi muitas propostas. Algumas delas já avançadas, e entretanto surgiu a Falcons. O que me atraiu ali foi, sem duvida, o projeto de ‘Aqui tens as chaves para vencer um Major'”, finalizou.

Leia também:

Até ao momento, a organização saudita ainda não apresentou qualquer jogador para o quinteto de Counter-Strike. Contudo, vários rumores apontam para a contratação de nomes sonantes do cenário.