Fotografia: João Ferreira/DreamHack

Novo qualificador, os mesmos problemas. O atleta Owen “smooya” Butterfield fez uso das suas redes sociais para acusar o jogador pyke, que atua pela Team QuackQuack, de utilizar cheats durante o qualificador aberto de acesso ao RMR.

O segundo qualificador aberto do Major arrancou na quarta-feira, 10 de janeiro, com várias equipas a entrar em ação na tentativa de asseguraram a passagem ao qualificador fechado. À semelhança do que tinha acontecido no primeiro qualificador, onde algumas equipas chegaram a ser banidas, o primeiro dia deste segundo qualificador ficou marcado pelo protesto de alguns atletas pelos seus adversários estarem a utilizar software ilícito.

smooya recorreu ao X (antigo Twitter) para acusar pyke de estar a utilizar cheats. Na publicação feita pelo atleta britânico pode ler-se: “A equipa QuakQuak tem um jogador que está a utilizar cheats de forma óbvia, ele chama-se pyke. É uma loucura o que estou a ver”.

O atleta da Alliance, Robin “robiin” Sjögren foi ainda mais longe e, em resposta à publicação de smooya acusou todos os elementos da Team QuackQuack de serem cheaters. O atleta sueco escreveu: Todos eles são conhecidos por utilizar cheats.

O jogo da Team QuackQuack contra a FullAliens foi transmitido na stream do antigo jogador profissional, Olof “olofmeister” Kajbjer Gustafsson e, pyke teve um comportamente suspeito por diversas vezes, o que levou olofmeister a questionar algumas das suas jogadas. A Team QuackQuack acabou por perder este jogo em overtime, sendo eliminada do segundo qualificador aberto.

Lê também:

O 2º qualificador aberto de acesso ao RMR irá prosseguir para o segundo dia de prova durante a tarde desta quinta-feira, 11 de janeiro. A competição arranca às 15h e já não existe representação portuguesa em prova.